Ligados à corrente

1238334_10151680164934423_926437152_n

O Teatro tem uma caraterística que o torna, simultaneamente, frágil e profundamente poderoso: é uma arte  que (sobre)vive quase despojada de meios, que consegue conviver, saudavelmente, com outras artes. Ontem vimos esse espírito  de resistência contra a falta de recursos no espectáculo Rua da Alegria – Concerto para duas atrizes e dois músicos, Teatro a quatro –  no Teatro Carlos Alberto no Porto.

Inserido na Mostra de criações incógnitas – Corrente alterna – este encontro e desencontro de personagens e músicos no meio do deserto de perspectivas que é o Estado do Teatro em Portugal, fez-nos pensar, reflectir, emocionou-nos. De um lado, um pianista, do outro, um músico que tocava o Xilofone, em pano de fundo as sombras que se projectavam num fundo branco como figuras animadas, a circundar o palco três atrizes, uma delas a interpretar uma grávida, num discurso torrencial em que se fala da Rua da Alegria, onde muitas destas companhias condenadas à  morte prematura, resistem estoicamente e  se revelam contra um destino cruel e desesperdao.

Tambem muito interessante foi a analogia entre o Estado do Teatro e o Estado do país, ambos exilados no próprio país, ambos menorizados com os seus cidadãos a serem convidados, melhor, empurrados para a emigração. O aparecimento da mulher grávida, na parte final da peça, é um prenúncio de que algo tem de nascer no meio do desespero – é a lei do Teatro, da vida, do homem.

Ligados à Corrente estão estes atores e atrizes, estas companhias que só querem mostrar a sua arte, apesar de as autoridades lhes retribuirem com uma sistemática indiferença. A electricidade do Teatro, a ligação entre os atores e o público, nunca morrerá – por favor, não desliguem a tomada !!!

 

www.sotaques.pt – O Palco do seu talento

R. Marques

Cantor brasileiro Beissá

David Calaa _ david.timspindola.com.brCantor brasileiro Beissá em destaque no Programa “ Sotaques”

Na terça-feira, 7 de Maio, o cantor brasileiro Beissá foi um dos destaques musicais do Programa “ Sotaques” que pode ser ouvido, no horário português entre as 18h00 e as 19h00, todas as terças-feiras na Rádio Manobras, na cidade do Porto na frequência 91.5 F.M ou através do site da Internetwww.manobrasfuturas.wordpress.com.

A Música de Beissá comprovou toda a sua qualidade e conquistou os ouvintes do Programa “ Sotaques”, espalhados por todo o mundo. Foi uma Viagem sonoro por um dos novos grandes talentos da Música brasileira, que revela na Rádio Portuguesa todo o seu génio e talento.

Programa Sotaques – O Palco dos artistas portugueses e brasileiros

R. Marques

www.facebook.com/sotaques.radio

Andreia Mota

Imagem de DivulgaçãoAndreia Mota com presença destacada no Programa “ Sotaques”
Esta terça-feira, 7 de Maio, a artista brasileira Andreia Mota foi um dos destaques musicais do Programa “ Sotaques” que pode ser ouvido todas as Terças-Feiras entre as 18h00 e as 19h00, na hora portuguesa na Rádio Manobras, na cidade do Porto no 91.5 F.M ou através do site da Internetwww.manobrasfuturas.wordpress.com.

Os ouvintes deste Programa que procura resgatar os Sotaques do Mundo, ficaram deliciados com a voz quente e doce de Andreia Mota. Foi mais um Programa com “ Sotaques” e com os novos talentos da música brasileira a mostrarem todo o seu talento.

Programa Sotaques – O Palco dos artistas portugueses e brasileiros

R. Marques

www.facebook.com/sotaques.radio

Notícias com Sotaques – Diogo Morgado

O actor português, Diogo Morgado interpreta Jesus  no êxito televisivo do Canal História “ The Bible”. A série teve uma audiência recorde, nos Estados Unidos, na estreia  com 13,1 milhões de espectadores.

Diogo Morgado é um dos mais conhecidos jovens actores portugueses com papéis no cinema, televisão e teatro, e este poderá ser um primeiro passo para uma carreira internacional de grande sucesso. A Revista Sotaques Brasil/Portugal saúda mais esta afirmação do talento dos actores portugueses no mundo.

http://www.sotaques.pt – O Palco que divulga o seu talento  

R. Marques 5BAFD167B4C917605D90DB93A34CFF_h498_w598_m2_q90_cCwKxmNtt

Parabéns São Paulo !

sao_paulo_centro_by_kasxp-d2zgygwParabéns a São Paulo por  459 anos de Crescimento e Grandeza

Foi a 25 de Janeiro de 1554 que um grupo de Jesuítas entre os quais se destacavam o Padre Manuel da Nóbrega e o Padre Anchieta chegaram a uma Colina Alta, na actual Região de São Paulo, e celebraram uma missa no dia em que se comemorava a conversão do apóstolo São Paulo. A Missa visava agradecer à Divina providência pela chegada àquele local e converter os índios locais, baptizando para sempre a nova povoação.

O resto é História e todos a conhecemos muito bem. A cidade de São Paulo foi o palco das grandes transformações do Brasil: do Grito de Ipiranga, dada nas margens da Capital Paulista por D. Pedro I a 7 de Setembro de 1922 à Industrialização e à afirmação do Brasil como grande potência mundial.

Hoje São Paulo é o Centro económico e financeiro do Brasil e da América do Sul, a mais populosa cidade do Continente Americano e abrange o Município com o 10º maior PIB do Mundo. Uma referência global que segue o lema inscrito em latim  no seu brasão “ Non ducor, duco”, que significa  não sou conduzido, conduzo.

www.sotaques.pt – O site das Cidades com Sotaques

R. Marques

“Jonas Vai Morrer” de Edson Athayde

jonas capa 2 2ª edição

Livros com Sotaques: “ Jonas Vai Morrer ” de Edson Athayde

O nosso  Livro com Sotaques desta semana  é a obra de Edson Athayde “ Jonas vai  morrer”. Uma obra escrita no âmbito de uma residência artística em Guimarães Capital Europeia da Cultura  deste criativo e publicitário brasileiro, com uma carreira de sucesso em Portugal e Brasil, e uma ligação muito forte ao nosso país.

Guimarães é precisamente o palco onde se desenrola a acção da narrativa. Pedro  nasce e vive em Guimarães e sofre de um problema de falta de memória, sendo confrontado com a descoberta de uma obra escrita sobre  uma personagem  chamada Jonas.

A única informação que possuímos é  que Jonas irá morrer e vamos assistindo à investigação quase  policial  de Pedro sobre esta invulgar personagem, sobre o misterioso narrador do livro, ao mesmo tempo que assistimos a uma reflexão de Pedro sobre si próprio. É um livro com Sotaques cuja leitura recomendamos.

R. Marques

www.sotaques.pt – Livros com Sotaques e criatividade

Palco com Sotaques



                   O   Fado da Felicidade de  Yolanda Soares


Fado é felicidade. Quem o demonstra  é Yolanda Soares, uma artista que faz   da metamorfose dos géneros, da combinação entre Fado, música clássica, guitarra, um casamento feliz e unido para sempre, perante  o olhar  emocionado  do público. 
O Sotaques falou com Yolanda Soares,  a propósito do seu espectáculo  ”  Fado em Concerto, o regresso” – que  apresentou pela primeira vez,  em 2006, no Disco ” Music Box- Fado em Concerto”, sendo nomeada, esse ano, como artista revelação para os Globos de ouro –   onde também canta músicas do seu novo álbum ” Metamorphosis”,  para saber mais sobre este  Fado   pleno de felicidade e criatividade. 

P – Fado é destino. Qual é o destino do Fado de Yolanda Soares ? 


R– O meu Fado é sempre diferente e inovador, nunca será um Fado tradicional. Embora não seja uma fadista – considero-me uma cantora lírica- sou uma amante do  Fado até por influências familiares.  
O destino do meu Fado é ser inovador,   juntando  as várias influências  que tive ao longo da minha carreira. Agora que é património mundial da humanidade, temos de abrir o Fado ao mundo,  às múltiplas influências musicais que o rodeiam. 


P – Esse ecletismo está presente nos seus Discos “Music box –  Fado em Concerto” e “Metamorphosis”. Deve-se  à  sua formação musical ? 


R – Eu tive uma formação muito completa no Conservatório e habituei-me a cantar em vários géneros – não só Fado como música erudita, Jazz, Ópera,  música brasileira –  viajei musicalmente por várias experiência.
Por isso, é natural que expresse nos meus espectáculos essa diversidade. Mas todos os géneros musicais – o Jazz, o Blues – passam por esse processo de transformação através das influências que recebem, o  que só  os torna mais ricos musicalmente. 


P – Curiosamente,  neste espectáculo  canta uma canção  brasileira inspirada  no Lundu, um género musical africano que terá influenciado o Fado. Como surgiu este tema  e qual é a sua relação com a música brasileira ? 


R – O tema surgiu porque,  segundo os estudiosos do Fado, o Lundum cantado pelos escravos  africanos foi um percussor do Fado. Ao cantá-lo,  estou a homenagear  as nossas raízes musicais.
Quanto à música brasileira, como disse anteriormente, tenho uma grande afinidade com ela – já cantei Caetano, Bethânia, Djavan, Gilberto Gil. Sempre gostei muito de cantar e de ouvir  música brasileira .
 Gostava de  fazer parceria com o Ivan Lins por quem nutro uma grande admiração,  Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Gadú. 


P – O Sotaques Brasil/Portugal aposta na aproximação dos criadores portugueses e brasileiros. A Yolanda gostaria de cantar no Brasil e de estabelecer parcerias com artistas brasileiros ? 


R – Adorava atuar  no Brasil, seria um sonho. É um país com uma grande vitalidade e amor pela música, uma referência para qualquer artista. 
Eu acho que temos tudo a ganhar ao fazer essa  Ponte entre Portugal e o Brasil: nós podemos encontrar no Brasil esse estímulo de encontrar um grande país, onde se fala a nossa língua e, no qual,  a musicalidade é fortíssima, faz parte da identidade nacional, da sua naturalidade,  e, por outro lado, os brasileiros podem buscar em Portugal as suas raízes. 
Temos tudo a a ganhar com essa troca. Estivemos afastados durante muito tempo, mas somos países irmãos e,  é importante mostramos o Portugal contemporâneo, moderno, com projectos de qualidade, ao Brasil. 


P – Qual é o Sotaque da Yolanda Soares ? 


R – Eu sou  de Lisboa,  portanto o meu Sotaque é alfacinha. 
Se tivesse um Sotaque diferente seria o brasileiro, porque adoro falar o  Sotaque do português do Brasil, a sua sonoridade. 


P – A música para Yolanda Soares é  …. 


R – A música para mim é a vida.   

Rui Marques