Comunicação com Sotaques

0002Entrevista com Bárbara Silva do Programa Burburinho 

Um Burburinho ouve-se nas ondas da rádio Manobras do Porto, há um ano. É o programa apresentado por Bárbara Silva, que vai à procura dos sons dos Bairros da cidade do Porto.
No primeiro aniversário do Programa, a Revista Sotaques foi falar com a mãe desta inquieta criança radiofónica. Leia esta entrevista com muitos Sotaques e Burburinhos à mistura.

P – Como nasceu o Burburinho ?

Bárbara Silva – Eu já fazia Rádio em Coimbra, e quando cheguei ao Porto conheci o Projecto da Rádio Manobras. Senti imediatamente uma atracção grande pelo conceito de fazer uma rádio comunitária, percorri os Bairros da cidade, ouvindo as pessoas, e tive a ideia de criar um Programa que desse voz às pessoas.

P – A Revista Sotaques fala da diversidade dos Sotaques. Quais são os Sotaques do Burburinho ? 

Bárbara Silva – São os Sotaques das pessoas da cidade, dos Bairros, dessa diversidade de sons que recolhemos e amplificamos através do Programa.

P – A Bárbara veio de Coimbra para viver no Porto. Como correu a sua adaptação à Invicta ? 

Bárbara Silva – Sinceramente não senti estranheza ao chegar ao Porto: já conhecia a cidade, estava familiarizada com a realidade que ia encontrar e, desde o início, gostei de ouvir as pessoas e de dar-lhes um espaço para se expressarem na Rádio.

P – Ao longo deste ano, há alguma experiência que a tenha marcado ? 

Bárbara Silva – Posso dizer que gostei de ir a todos os sítios, a todos os Bairros. Se tivesse de destacar uma experiência, provavelmente apontaria o Programa que fiz sobre o Bairro do Aleixo.
Vivi aquilo intensamente, porque na altura a Rádio não tinha um espaço próprio, e o Burburinho era feito nos Bairros. Também contei com a participação do Sociólogo João Queiroz e do cineasta Tiago Afonso – que estava a fazer um Documentário sobre o Aleixo – e impressionaram-me os testemunhos das pessoas incríveis que conheci, com um olhar muito crítico sobre a cidade.

P – Como surgiu a Rádio na vida da Bárbara ? 

Bárbara Silva – Como uma paixão. Há uma magia especial em ouvir alguém que não vemos, e imaginar como é que a pessoa é fisicamente – por exemplo, ouvia o Paulino Coelho e não tinha a ideia de como ele era na vida real.
Esse exercício de imaginação do ouvinte, torna a Rádio um meio diferente e especial. Vejo a Rádio como um éter delicioso, que cria um elo de ligação entre os apresentadores e os ouvintes.

P – Neste Dia de aniversário, que mensagem quer deixar aos leitores da Revista Sotaques Brasil/Portugal ? 

Bárbara Silva – Felicito a Revista Sotaques pela valorização da interculturalidade, da conexão entre o Brasil e Portugal.
Aos nossos amigos brasileiros, peço que estejam connosco, que ouçam a Rádio Manobras, porque vamos continuar a manobrar, a criar e a dar voz às pessoas do Porto.

www.sotaques.pt –  www.facebook.com/sotaques

Porto Melhor Destino Europeu 2014

1901221_683547075030702_1021676801_n
O Porto foi eleito o Melhor Destino Europeu 2014, entre outras 19 cidades a concurso, realizado no âmbito de uma competição destinada a escolher os melhores destinos na Europa.

“A cidade do Porto é com toda a certeza o melhor destino europeu para 2014. A aposta na diversidade e autenticidade da oferta deste destino, o investimento em mais e melhores estruturas de apoio e todo o trabalho de promoção que tem sido feito a nível internacional, mostram os seus resultados e o Porto recebe assim uma distinção mais do que merecida”, acrescentou Helena Gonçalves.

De acordo com a página na internet da Best European Destinations, o Porto venceu esta corrida com 14,8% dos votos.

Viva o Porto, carago!

www.facebook.com/sotaques

Pinguim, a Tribo da Poesia cumpre 25 anos

mg_9824-e1390181009632

A pele da poesia e dos poetas são os espaços. Os lugares que albergam os escritos da alma, que os acolhem doce e violentamente, que os elevam nas noites de frio a uma incandescência fora do comum, alimentando-os como uma mãe coragem que acarinha, no regaço,   um filho.

Na cidade do Porto, um desses lugares obrigatórios é o Pinguim. Celebram-se este ano, 25 anos,  desde que este pequeno-grande bar da Ribeira do Porto, pela voz carismática de Joaquim Castro Caldas, se tornou um poiso obrigatório das sucessivas Tribos poéticas do Porto e não só.

25 anos depois, o ator  Rui Spranger mantêm acesa a chama das noites do Pinguim,  e é apresentada, na Biblioteca Almeida Garrett, uma “ Antologia da Cave” com a memória deste quarto de século de boémia poética. E que noites !!! Por aqui passaram Valter Hugo Mãe, Filipa Leal, Daniel Maia-Pinto, Rui Lage ,  Anthero Monteiro, se disseram autores canónicos como Herberto Helder, Fernando Pessoa, Ruy Belo,  Mário Cesariny ou Manuel António Pina, mas também novos escritores,  que encontraram no Pinguim uma casa de portas abertas aos seus poemas.

Hoje às 21h30, as Tribos da Poesia do Pinguim e o público amante da Arte e da Cultura – que existe,  apesar das Cassandras que apregoam a incultura geral como regra – juntam-se   na Biblioteca Almeida Garrett do Porto. Longa vida ao Pinguim, longa vida aos artistas que cultivam essa Arte superior que é a Poesia !!!

www.sotaques.pt – Poesia em rede

R. Marques

#sotaques

#Brasil

#Portugal

#Ruimarques

#Poesia

 

 

 

Retrato do artista enquanto Jovem

Manoel de Oliveira Esqueçam os tópicos, as verdades absolutas, as metáforas rebuscadas. O homem que ontem beijou a Teresinha do Aniki-Bóbó e recebeu as flores e os aplausos do público, não tem idade. Têm Projectos em mente, ideias, têm filmes na cabeça que, a serem concretizados, se perpetuariam pela Eternidade adentro.
Ontem o Fantasporto e a cidade do Porto, prestaram a devida Homenagem ao seu artista mais jovem. Aquele que começou tudo – sem ele, o melhor da cinematografia portuguesa não existiria, sem ele o Fantástico também não.
Ou porventura Aniki-Bóbó não será, em si, uma Janela para o Universo da fantasia do ser humano, dos sonhos das crianças, dessa outra dimensão de todos nós, subjugada por essa Fera castradora e implacável chamada realidade ?
Quer seja na evocação da Ribeira do Porto, na materialização desse Douro que a grande Agustina Bessa-Luís descreveu com finíssimo talento, ou no confronto entre a Pátria portuguesa com a perda do Império, o mais novo Realizador do mundo sempre viveu e filmou no limiar do sonho e do onirismo. Agora é que reconhecemos um legado construído em imagens, uma urbe de símbolos, alegorias, palavras, que sempre esteve ali, e sem o qual o Porto e Portugal não se podem olhar ao Espelho.
Por isso, olhemos com olhos de ver, como diz o Povo na sua sabedoria infinita, e observemos que, à imagem do artista Basil Hallward, que só quer captar a beleza do Mundo no rosto de Dorian Gray, ele apenas deseja continuar a mostrar-nos a ética do Belo e do Grandioso. E como nós precisámos de Beleza neste País e neste Mundo, como nós precisámos desse olhar terno e cheio de esperança de Manoel de Oliveira.

www.sotaques.pt – Pura Arte na Internet

R. Marques

Convite

pina4

Vimos por este meio convidá-lo(a) a estar presente na próxima sexta-feira, 1 de Março, pela 21h30, na Casa da Cultura Barbot em  Gaia,  na Tertúlia  “ À descoberta de Manuel António Pina”. Não falte a esta Homenagem com Sotaques ao grande poeta e escritor que deixou uma marca inesquecível em campos como Poesia, a Literatura infantil ou o Jornalismo.

A Revista Sotaques Brasil/Portugal é Parceira na organização deste Evento. E convida-o(a) a fazer esta Homenagem indispensável a um escritor cuja obra está ligada à História da Literatura portuguesa e da cidade do Porto.

Tertúlia “ À descoberta de Manuel António Pina”

     pina111         

Convidá-lo(a) a estar presente na próxima sexta-feira, 1 de Março, pela 21h30, na Casa da Cultura Barbot em  Gaia,  na Tertúlia  “ À descoberta de Manuel António Pina”. Não falte a esta Homenagem com Sotaques ao grande poeta e escritor que deixou uma marca inesquecível em campos como Poesia, a Literatura infantil ou o Jornalismo.

A Revista Sotaques Brasil/Portugal é Parceira na organização deste Evento. E convida-o(a) a fazer esta Homenagem indispensável a um escritor cuja obra está ligada à História da Literatura portuguesa e da cidade do Porto.

O Sotaques leva-o a ver o Fantasporto 2013

429037_10151229900763215_1644652075_nO Fantasporto 2013 vai começar na segunda-feira e, como não podia deixar de ser, o Sotaques tem de entrar neste filme. Um Filme de sucesso que relata a criatividade daqueles que transformaram um Festival de Terror local  que dava os primeiros passos, nos anos 80, num fenómeno de popularidade, em Portugal e no estrangeiro, considerado pela Revista Variety um dos cinco maiores do mundo.

Nesta longa-metragem, plena de êxitos e de aplausos  da crítica e do público, que consagrou ícones da História do cinema como “ Blade Runner” ou “ Braindead”, não podia falta a Revista Sotaques. Por isso, faremos uma cobertura do Festival e mostraremos,  nesse grande cinema contemporâneo  que é a Internet, esta película  que é um  exemplo da força cultural do Norte país e da cidade do Porto.

Venha daí ver o Fantasporto 2013 com o Sotaques !!!

www.sotaques.pt – Veja o Fantasporto no Canal Sotaques

R. Marques

Agustina Bessa- Luís

 

 Um Sotaque nortenho poderoso

Agustina Bessa-Luís fez 90 anos no passado dia 15 de Outubro. Uma data extraordinariamente simbólica para a Literatura portuguesa, apesar da doença a mitigar. Porque Agust

ina é uma herdeira avantajada dos nossos grandes clássicos: antes de todos do grande Camilo Castelo Branco, que transformou em deliciosa personagem literária em ” Fanny Owen”, mas também de Garrett, de Eça, de Aquilino ou de Vergílio Ferreira.

Ninguém como ela traçou uma descrição mais lúcida e cruel da Região Norte e da cidade do Porto, não escondendo os vícios, a mesquinhez, a manipulação, mas também mostrando-nos a alma do Norte, aquelas características que o tornam único. A corte do Norte”, ” Fanny Owen” ou ” Vale Abraão”. são escritos com uma linguagem visual que, mais tarde, Manoel de Oliveira, reproduziu brilhantemente em vários filmes.

Nos 90 anos de vida de Agustina Bessa-Luis, o país tem o dever de homenageá-la como deve ser, como um dos maiores vultos da História da nossa Literatura. E não ficar por este envergonhado silêncio que, a Norte, se torna ainda mais ensudercedor.

Agustina tem de reviver em Tertúlias, colóquios, em evocações: desde as páginas do Sotaques, lanço este repto aos nossos agentes culturais !!!

  João Portugal 

www.sotaques.pt – Um site de causas e de pessoas

Sotaques homenageia D. Pedro em Outubro

Este vai ser um mês especial no Sotaques e para os nossos leitores e seguidores. Decidimos homenagear o homem que simboliza, melhor do que ninguém, a Ponte cultural entre Portugal e o Brasil: o Mo

narca D. Pedro I.
Foi a 12 de Outubro de 1798 que nasceu e, no dia 12 do mesmo mês em 1822, que se tornou no primeiro Rei do Brasil, depois do famoso grito dado nas margens do Rio Ipiranga a 7 de Setembro desse ano. D. Pedro I do Brasil e IV de Portugal – reinou durante um brevíssimo período a coroa no trono português – é um monarca amado e admirado pelos dois povos.
Curiosamente, foi um libertador nos dois países – ao proclamar a independência do Brasil e ao vir em socorro da sua filha D.Maria II, derrotando o seu irmão D. Miguel, e recuperando a coroa portuguesa dos Absolutistas.
Também tem uma ligação fortíssima com a cidade do Porto. Que o respeita mais do que a nenhum outro Rei da História de Portugal, e o vê como um dos seus símbolos intemporais.
Neste mês de Outubro, vamos percorrer a História desta figura maior das nossas Histórias. Uma homenagem com Sotaques, a um pioneiro que abriu a Ponte cultural entre Portugal e o Brasil como Nações independentes, estimulando-nos a construir novas ligações entre os dois povos.

www.sotaques.pt – Fazemos História todos os dias

R. Marques