UMA PALAVRA

@danielcanhoto

Eu vejo o vento

E canto a canção do silêncio.

Eu ouço uma voz

A antropopatia da mesa

Da folha em branco.

Eu guardo perguntas

Como respostas.

Eu amo e não digo

Eu digo e não amo.

Eu ando na rua

Assim sem rumo

Como personagem

De um extenso livro

De uma única

Palavra.

eu sou a pausa

um copo vazio

a respiração profunda

o mictório

a lágrima sem causa

Eu sei que ela

Não vê

Mas mostro

Não ouve

E conto.

            eu

            faço

            do eu

            tu

invado

Eu faço

Do tudo

Um nada

E o infinito

É só uma palavra

Quando o nada

É mundo.

Eu leio-a

Porque ela é poema

Que

É poesia

E eu

Que nada sou

Escrevo-a.

            eu sou

Poeta.

Texto: Daniel Canhoto

#Revista#Online#Revistaonline#arlequim13#Homemportuguês#brasil#portugal#brasilportugal🇧🇷🇵🇹#poesiaportuguesa#poesiabrasileira

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s