Azul Instantâneo – Pedro Vale

Gard Blue, James Turrell, 1968
Gard Blue, James Turrell, 1968

 

 

 

É preciso viver sem paixões.

 

Mergulhar no absoluto anonimato,

 

Permanecer morto ou vivo até ao fim.

 

Aclamar o tumulto escuro e bruto.

 

Encenar o drama clemente e lento.

 

Sentir um amor ideal por anjos nebulosos.

 

Descobrir um novo fundo de poesia e aguardar

 

Uma voz que nos ordene docilmente:

 

– Não te movas, nem te inquietes,

 

Nem traias o que

 

Ainda não

 

És.

 

 

Texto: Pedro Vale

#sotaques #sotaquesbrasilportugal #revistasotaques #arlequim13 #brasilportugal🇧🇷🇵🇹 #litteris

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s