O tempo não pára para Cazuza

cazuza96

Dizem que o tempo parou para Cazuza a 7 de Julho de 1990. O poeta do rock morria, precocemente, aos 32 anos vítima de uma terrível doença – os portugueses chamam-lhe Sida, os brasileiros Aids .

A extraordinária vida de Agenor de Miranda Araújo Neto, mais conhecido como Cazuza, foi a de um cometa da música. Poucos merecerão, como ele, o estatuto de pai do rock brasileiro .

De vocalista e letrista do grupo Barão vermelho a parceiro de Roberto Frejat, Cazuza fez tudo o que quis, quando quis, como quis. Letras imortais como “Bette Balanço”, “Todo o amor que houver nessa vida” ou “Pró dia nascer feliz”, fazem parte do seu riquíssimo reportório como criador.

Nem a doença pôde com ele.” Ideologia” e “O tempo não pára ” foram os seus dois últimos trabalhos. Na digressão final, dirigida por outro gigante da música brasileiro, deixou-nos hinos como “Codinome Beija-Flor”, ” Brasil ” e “Faz parte do meu show”, e a denúncia da hipocrisia em relação à doença e à homossexualidade.

Na sua lápide ficou escrito o título da música “O tempo não pára”.Não, definitivamente, o tempo não parou para um mito como Cazuza.

Rui Marques

http://www.facebook.com/sotaques – Os ídolos da cultura brasileira.

#sotaques #Brasil #Portugal #RuiMarques #Cazuza #25anosdamorte

#sotaquesbrasilportugal

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s