Efemérides com Sotaques: 31 de Janeiro de 1891, a primeira Revolta Republicana

045454A República foi implementada a 5 de Outubro de 1910. Mas duas décadas antes, mais especificamente no dia 31 de Janeiro de 1891, na cidade do Porto,  eclodiu  o primeiro movimento republicano com o intuito de derrubar a Monarquia.

Na génese da rebelião esteve o descontentamento dos republicanos pela questão do  Mapa cor-de-rosa – Portugal ocupava o território que compreende actualmente a Zâmbia e o Zimbabwe, unindo Angola e Moçambique e a Inglaterra exigiu, em 1890, através do primeiro-ministro inglês, Lorde   Salisbury, a saída imediata  destes territórios. A Coroa portuguesa acabou por ceder ao Ultimato inglês, gerando uma enorme onda de descontentamento.

A 1 de Janeiro de 1891, celebra-se o Congresso Republicano de onde sai eleito um Directório,  no qual pontificam figuras como Teófilo Braga, Manuel de Arriaga ou Magalhães Lima. Embora não defendesse a revolta militar, o Congresso não deixava de vincar uma hostilidade crescente dos republicanos contra a Monarquia instituída.

Os acontecimentos precipitaram-se, definitivamente, a 31 de Janeiro de 1891. Pela madrugada, o Batalhão nº 9 de caçadores, composto maioritariamente por sargentos,  marcha em direção ao Campo de  Santo Ovídio – actualmente a Praça da República no Porto – onde se encontra com o Regimento de Infantaria  nº 10 e uma Companhia da Guarda fiscal e o Alferes Malheiro – nome imortalizado  numa rua do Porto –  perto da  Cadeia da Relação.

Descem a Rua do Almada até à Praça de D. Pedro – a Praça da Liberdade do Porto – onde ouvem o Dr. Alves da Veiga a proclamar a República em frente à câmara municipal do Porto. Entre os intelectuais portuenses que aderiram ao levantamento destacam-se, entre outros, o jornalista e escritor João Chagas, os filósofos Sampaio Bruno e Basílio Teles ou o comerciante   Aurélio Paz dos Reis, pioneiro do cinema em Portugal.

Apesar de hasteada a bandeira vermelha e verde republicana na Praça da Batalha, os revoltosos são atacados pela Guarda Municipal na escadaria da Igreja  Santo Ildefonso  e bombardeados pela artilharia que estava destacada na Serra do Pilar, em Gaia. Muitos civis e militares apoiantes  da  causa republicana são mortos, outros são  capturados e a Revolta é esmagada.

Quando a República triunfou, finalmente, no 5 de Outubro de 1910  a Rua de Santo António na cidade do Porto  passou a chamar-se Rua 31 de Janeiro. Em memória dos bravos civis e militares que verteram sangue pela democracia e pela liberdade.

www.sotaques.pt – Histórias com muitos Sotaques e muitas memórias

R. Marques

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s